Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

O Filósofo e a Teologia [****]



Étienne Gilson 
Editora Paulus e Academia Cristã
248 páginas


Nascido em Paris., professor renomado da Sorbonne, Strassburg, Toronto Harvard e Louvain, é por muitos corretamente chamado de o grande medievalista do século XX. Durante sua longa trajetória publicou algumas das mais influentes obras do pensamento cristão contemporâneo, especialmente na sólida retomada do legado de Tomás de Aquino. Quem se interessou e ainda se interessa pelos estudos de História da Filosofia e de suas interfaces com a Teologia, não deixou nunca de recorrer aos livros deste cristão (com orientação católica) e que teve uma recorrente preocupação: há uma crise da Metafísica nos nossos tempos e isso se deve à equivocada secundarização das concepções tomistas. Filósofo historiador e exegeta. Gilson houvera escrito um texto clássico: Deus a Filosofia (na qual percorre o pensamento filosófico desde as origens em busca das demonstrações racionais para a existência de Deus). Agora, nesta obra de 1959 (e profundamente atual), encontramos uma quase biobibliográfica de reflexão em torno de O Filosófico e a Teologia, isto é, uma análise de vários percursos que fez até consolidar a convicção da imprescindível base escolástica para ombrear Fé e Razão. E, como o próprio Gilson nos lembra na Introdução: “Quisemos apenas que estas páginas fossem um testemunho sobre uma longa série de incertezas das quais conseguimos nos libertar a nós mesmos, com o propósito de poupar a outros o erro de nelas entrar”.

Ateísmo Remix [***]



Albert Mohler Jr.
Editora Fiel
104 páginas


"O povo cristão tem de recordar que a ênfase de nossa preocupação não é apenas refutar o ateísmo ou argumentar em favor da credibilidade intelectual do teísmo de forma genérica ou minimalista.
Em vez disso, nossa tarefa consiste em apresentar, ensinar, explicar e defender o teísmo cristão. Quanto a este ponto, a defesa do teísmo bíblico revela que a grande divisão no pensamento intelectual não é meramente a respeito da existência de Deus, e sim a respeito de haver Ele falado.
O materialismo e o naturalismo que são centrais no Neo-ateísmo rejeitam a categoria da revelação imediata. Este é, no final das contas, o verdadeiro impasse. A igreja cristã tem de responder ao desafio do Neo-ateísmo com plena convicção.
Devemos lembrar que, em sua história, a igreja já enfrentou inúmeros desafios teológicos. Portanto, agora, cumpre-nos articular, comunicar e defender a fé cristã com integridade intelectual e urgência evangelística.
Não devemos imaginar que essa tarefa será fácil. E, à luz desse desafio, não podemos esquivar-nos do debate público e da conversa particular"