Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

Infalibilidade & Interpretação (****)



Rousas John Rushdoony & P. Andrew Sandlin
Editora Monergismo  
128 páginas

A questão da infalibilidade bíblica descansa em última análise no caráter de Deus. Afirmamos a infalibilidade bíblica porque o Deus a quem a Bíblia revela não poderia falar senão infalivelmente, e porque a Bíblia na qual Deus é revelado afirma que Deus fala somente infalivelmente.
Os homens negam a infalibilidade bíblica, não por razões intelectuais, mas por razões éticas – eles estão em guerra com Deus. Os incrédulos violadores do pacto não negam a infalibilidade bíblica porque é difícil reconciliá-la com a “razão” ou com as descobertas do mundo moderno – eles negam a infalibilidade bíblica porque são rebeldes.
Da mesma forma, nós, os cristãos observadores do pacto, não afirmamos a infalibilidade bíblica porque podemos demonstrar que a Bíblia se conforma detalhadamente aos cânons da ciência moderna – antes, afirmamos a infalibilidade bíblica porque o Deus do universo não fala senão infalivelmente.
Esta obra crucial de Rousas John Rushdoony e P. Andrew Sandlin explora as implicações da infalibilidade e interpretação bíblicas a partir de uma perspectiva distintamente pressuposicional. Os autores estão convencidos que somente mediante uma recuperação da fé numa Bíblia infalível e através da obediência a cada um dos seus mandamentos os cristãos podem esperar vencer os males na igreja e na cultura de hoje.

Eleitos de Deus [Releitura] (**)



R. C. Sproul
Editora Cultura Cristã
160 páginas


"Se de fato Deus é Deus, então ele é Soberano sobre todas as coisas, todas as decisões.
Nós o amamos porque ele nos amou primeiro".

R. C. Sproul, (B. D., Pittsburgh Theological Seminary e Th.D., Free University of Amsterdam) é professor em vários seminários e autor de vários livros.

Poesia (*****)



T. S. Eliot
Tradução: Ivan Junqueira
Editora Nova Fronteira
333 páginas



"
Nesta edição da poesia de T. S. Eliot reúnem-se seus poemas mais significativos, vertidos para o português num dos mais ousados e felizes trabalhos de tradução levados a cabo no Brasil, fruto da apaixonada dedicação do poeta Ivan Junqueira ao autor de 'A terra desolada', um escritor essencial à compreensão dos dilemas que marcam a nossa época".

Breve História do Mundo (****)

Os melhores poemas do poeta da condição humana

Carlos Nejar
Ediouro
248 páginas


"Carlos Nejar é um dos trinta e sete poetas-chaves do século, entre trezentos autores memoráveis latino-americanos, no período compreendido de 1890-1990. Encarna de forma convincente, porém com modéstia e discreto retraimento, o logro daquela síntese em tantos lugares desejadoa e raramente cumprida, entre inovação e tradição".

A Soberania Banida [Releitura] (*****)


R. K. McGregor Wright
Editora Cultura Cristã

256 páginas


"... o melhor livro sobre o assunto disponível em português." [Felipe Sabino -
Sítio Monergismo]
“... um Deus limitado pela autonomia humana não é capaz de satisfazer as necessidades de um mundo perdido.”[Dr. Alan Myatt - Seminário Batista do Sul - RJ]
“ Wright procede a uma demolição meticulosa da interpretação arminiana dos textos usados para apoiar o livre arbítrio.” [Dr. Augustus Nicodemus Lopes - Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie – SP]
“ A melhor declaração contemporânea do pensamento reformado sobre essas questões.”[Dr. Ronald Nash - Reformed Theological Seminary]
R. K. McGregor Wright (Th.M., Trinity Evangelical Divinity School; Ph.D., Denver University/Iliff School of Theology), juntamente com sua esposa, Julia Ann Castle, dirige o centro de estudos Casa Priscila e Áquila, em Lakewood, Colorado, EUA.
Leia os comentários à primeira leitura AQUI

Renovando a Mente (***)


Vincente Cheung
Editora Monergismo
120 páginas

"Argumentando que a neutralidade intelectual não existe, o primeiro capítulo usa o Salmo 1 como base para ilustrar que todas as idéias são cristãs ou não cristãs. O crente não deve prestar atenção ao conselho do mundo, mas deve estudar a Escritura para sabedoria e direção... O restante do livro fornece váriso exemplos de como as implicações dos ensinos bíblicos se desenvolvem em áreas como o pecado, a divindade Cristo, a escolha de uma esposa e pena de morte"

A Luz das Nossas Mentes (*****)



Vincent Cheung
Editora Monergismo
124 pg


O anti-intelectualismo prevalece no Cristianismo evangélico moderno. Livros e sermões advogam uma fé mística e irracional, e muitos que alegam ser povo de Deus "gostam dessas coisas" (Jeremias 5.31). A tendência é tão predominante que algumas pessoas associam intimamente o anti-intelectualismo ao Cristianismo, afirmando uma disjunção autoimposta entre a fé e a razão, de forma que seja necessário um "salto de fé" irracional para que alguém abrace a cosmovisão cristã.
Os ensaios neste livro compartilham pelo menos dois temas comuns - a ênfase bíblica sobre a mente e o monopólio da cosmovisão cristã sobre a esfera intelectual. O Cristianismo preserva a racionalidade e fornece a pré-condição da inteligibilidade. Juntos, esses capítulos são como um lembrete para o cristão amar a Deus com toda a sua mente (Mateus 22.37), e, ao mesmo tempo, ilustram uma estratégia eficaz para a apologética cristã.

Manual do Conselheiro Cristão



Jay E. Adams
Editora Fiel
432 Páginas


"Este segundo volume lançado por Adams, visa lidar com a prática do aconselhamento cristão, já que o seu primeiro livro é mais teórico e visava defender uma idéia.Dividido em três partes: a primeira fala das pessoas que estão envolvidas no aconselhamento. A segunda fala dos princípios básicos e pressupostos do aconselhamento e a terceira parte fala da prática e processo do aconselhamento"

Ortodoxia (****)



G. K. Chesterton
Mundo Cristão
264 Páginas


"Numa época em que a Europa dava os primeiros passos para tornar-se uma sociedade pós-cristã, um intelectual de grosso calibre, cansado do cinismo reinante e do fascínio despertado por novas idéias, resgata o núcleo da fé cristã como arcabouço suficiente para dar sentido à existência humana.
Ao contar sua jornada espiritual, G. K. Chesterton faz saber à intelligentsia européia da primeira metade do século XX que o socialismo, o relativismo, o materialismo e o ceticismo estavam longe de responder às questões existenciais mais profundas. E quando questionado sobre as aparentes contradições da fé cristã, Chesterton era um mestre em valer-se do paradoxo para apresentar a simplicidade do senso comum.
Seu jeito despojado, seu estilo incisivo e a facilidade de rir de si mesmo tornaram célebres seus debates com intelectuais da época, como George Bernard Shaw, H.G. Wells, Bertrand Russell e Clarence Darrow.
Dono de uma pena arguta, sutil e envolvente, Gilbert Keith Chesterton deixou marcas inesquecíveis em mestres da literatura como Hemingway, Borges, García Márquez e T. S. Eliot. Como se não bastasse, seus textos influenciaram decisivamente líderes de movimentos de libertação como Michael Collins (Irlanda), Mahatma Gandhi (Índia) e Martin Luther King (Estados Unidos).
Cem anos depois, Ortodoxia é um clássico da literatura que merece (e deve) ser revisitado".

As Cartas Para Dawkins (****)

"Desafiando Mitos Ateístas"
David Robertson
Editora Monergismo
163 páginas

"Este livro é uma coleção de cartas abertas críticas escritas em resposta ao Professor Richard Dawkins, a respeito de seu livro Deus, um delírio. O autor, David Robertson, tenta apresentar da maneira mais clara possível a falta de rigor com que Dawkins constrói o seu ataque ao cristianismo. Muito mais poderia ter sido dito para demolir o edifício de falácias construído por Dawkins sobre o falso fundamento do naturalismo, mas Robertson se contenta com uma refutação simples para atingir um público maior do que teria atingido se entrasse em uma discussão filosófica mais avançada".

Princípios de Interpretação Bíblica (***)


Louis Berkhof
Cultura Cristã
144 páginas


Este estudo sobre Hermenêutica inclui:
Um breve sumário da história dos princípios hermenêuticos. O passado pode nos ensinar muitas coisas, negativa e positivamente.
Uma descrição das características da Bíblia determinam, em parte, os princípios a ser aplicados na sua interpretação.

  • Uma indicação das qualidades do intérprete da Bíblia.
  • Uma discussão da interpretação da Bíblia.
A- Gramatical, incluíndo a interpretação lógica;
B- Histórica, incluindo também a interpretação psicológica;
C- Teológica.

Louis Berkhof faleceu em 1957, com 83 anos. ele era um professor americano extraordinário e autor de 22 livros. Depois de dois pastorados, ele começou sua longa carreira como professor em Calvin Seminary, Grand Rapids, em 1906. É autor de uma das mais conceituadas teologias sistemáticas, também publicada pela Editora Cultura Cristã.

Ética & a Lei de Deus (***)




William O. Einwechter
Editora Monergismo
96 páginas

Não haverá nenhum reavivamento genuíno à parte da disseminação do evangelho puro, e não haverá nenhuma disseminação do evangelho puro à parte de um reavivamento do entendimento Reformado da lei.

O Laboratório dos Venenos (****)



Arkadi Vaksberg
Editora Nova Fronteira
304 Páginas


"Descrição: Desde a Antigüidade, veneno e História caminham lado a lado. Cleópatra usou o de uma cobra para livrar-se da humilhação de cair prisioneira dos romanos. Napoleão teria sido vítima do arsênico. Saddam Hussein encontrou seu fim na forca por ter, entre outros crimes, envenenado aldeias inteiras de curdos com gás letal. É dessa relação tão próxima que Arkadi Vaksberg tira o fio condutor de seu novo livro, O laboratório dos venenos: de Lênin a Putin, que desvenda o uso de substâncias tóxicas como arma política na Rússia, desde a extinta União Soviética, no início do século XX, até o momento atual.Trata-se de um livro imperdível para quem quer entender os meandros do jogo político de bastidores, onde espionagem e assassinatos são lugar-comum, O laboratório de venenos é também uma excelente aula de história dos últimos cem anos"

Nascido de Novo (****)



Vincent Cheung

Editora Monergismo
140 Páginas


"A doutrina da regeneração, ou do novo nascimento em Cristo Jesus, é uma das doutrinas mais fundamentais da nossa santa religião. Não obstante isso, ela tem sido amplamente negligenciada, quando não, totalmente deturpada. Por um lado, existem aqueles que sequer sabem do que se trata, por estarem enredados em heresias como a teologia da prosperidade e outros desvios doutrinários. Por outro, há os que distorcem o ensino bíblico, ensinando que o pecador precisa crer para que seja regenerado.
Neste pequeno livro, Vincente Cheung, teólogo já conhecido e apreciado no Brasil, faz uma exposição da passagem de João 3.1-21, que trata do famoso encontro de Jesus com Nicodemos. Embora não lide com questões complexas, como nos seus outros livros de teologia, apologética e filosofia, o autor, como lhe é tão característico, esclarece dificuldades e questiona suposições que muitas vezes sustentamos sem justificativa bíblica".

A Vida De Deus na Alma do Homem (***)



Henry Scougal
Editora Pes
160 Páginas


O Dr. Wishart, diretor do King’s College, de Edimburgo, publicou uma edição deste livro em 1739 com um prefácio no qual diz: “Desde quando eu tive a felicidade de tomar conhecimento deste livro, venho bendizendo a Deus de coração pelo benefício que trouxe à minha alma, e tenho desejado ardorosamente que tão precioso livro tenha um lugar em todas as famílias.” Ele continua: “E, imagine, meus irmãos, quão ruborizados havemos de ficar ao sabermos que o digno autor deste livro o compôs antes dos vinte e sete anos de idade!” (Scougal faleceu com vinte e oito anos!) Em seu livro, Os Puritans: Suas Origens e Seus Sucessores, Dr. Martyn Lloyd-Jones afirma: “John Wesley... achou o famoso livro de Henry Scougal – The Life of God in the Soul of Man (A Vida de Deus na Alma do Homem). Não é uma obra sobre a teologia mística, entretanto contém a mesma idéia geral de um conhecimento vivo e verdadeiro de Deus... O livro de Scougal influenciou não somente Wesley, mas também Whitefield e todos os membros do Clube Santo.”

Filosofia e Fé Cristã (***)



Colin Brown
Editora Vida Nova
280 páginas


"
Neste livro, Colin Brown consegue, com sucesso, alcançar algo praticamente impossível: discutir o pensamento de cerca de 450 filósofos, trazendo-nos um rico panorama dos últimos mil anos da história do pensamento humano.
Porém, o autor não apenas nos apresenta ao pensamento de vários intelectuais, mas também mostra, com admirável precisão, como tudo isso afeta a fé cristã".

O Cristão e a Cultura (****)




Michael S. Horton

Editora Cultura Cristã
187 páginas


"Muitos cristãos têm adotado a mentalidade do "nós-contra-eles." Evitam qualquer coisa que pareça "secular", da arte à política, da ciência ao lazer. O resultado é uma subcultura repleta de coisas "cristãs": música, viagens, reuniões de executivos, seminários, redes de televisão, etc.
Em O Cristão e a Cultura, Horton demonstra que as divisões entre secular e sagrado freqüentemente se baseiam em pressupostos falsos ou em telologia equivocada. Ele apresenta um dasafiante e provocante chamado aos cristãos para estarem inseridos no mundo, embora permanecendo distinto dele"

Confissões de um Ministro de Louvor (***)



Dan Lucarini
Editora Fiel
144 Páginas

"A música na igreja evangélica tem sido constantemente um dos assuntos mais controversos dos últimos 50 anos. Dan Lucarini, com sua experiência de envolvimento profundo na música moderna (secular ou não) e honestidade em compartilhar sua própria jornada espiritual e musical, nos oferece, neste livro, uma avaliação do que julga ser um dos principais problemas da igreja contemporânea".

Fé Com Razão (****)


Joseph R. Farinaccio
Editora Monergismo
151 páginas


"Este é um livro que trata de cosmovisões. Todas as pessoas possuem uma. Mas, em sua maioria, elas nunca idpensam muita atenção à filosofia de vida pessoal. Isso é trágico, pois não há estado de conscientização mais fundamental para o viver diário. Tendo em vista a existência de inúmeras cosmovisões mundo afora, este livro foi escrito para ajudar as pessoas a entenderem por que o Cristianismo bíblico é tão importante, não apenas para o nosso entendimento a respeito de Deus, mas também sobre nós mesmos e o mundo a nossa volta" (4a. pg).

Sobre o Bem e o Mal (****)



Vincent Cheung
Editora Monergismo
144 páginas

A Bíblia tem muito a dizer sobre o assunto do bem e do mal. Deus quer que reconheçamos o bem como bem, o mal como mal, e que nunca confundamos as duas coisas. Indivíduos e sociedades se tornam ímpios aos olhos de Deus quando eles pervertem a justiça e a ética, ao confundir ou até mesmo reverter as definições de bem e mal.
SUMÁRIO:

Prefácio à Edição Brasileira
Prefácio
Sobre o Bem e o Mal
Sobre o Engano Mental
Lógica e Falácias
Lógica e Teologia

O Desconhecido e Mãos Vazias (***)




Lúcio Cardoso
Ed. Civilização Brasileira
320 páginas


"Da vasta obra de Lúcio Cardoso, Mãos vazias (1938) e O desconhecido (1940) são novelas hoje quase esquecidas e, no entanto, das mais felizes e significativas. Sim, se foi a partir de A luz do subsolo, em 1936, que Lúcio se afirmou definitivamente como ficcionista, é, sobretudo, com Mãos vazias e O desconhecido que ele, além de conquistar a sua verdadeira fisionomia de escritor, chegou ao seu mot juste. Da primeira fase de sua obra, talvez sejam os mais instigantes sob o ponto de vista da concepção e da realização artística, tornando evidente a maturidade do criador de estados de alma, entre a razão e a loucura, traços até então bem raros no romance brasileiro. Seus personagens espelham a desconformidade do autor diante dos seus limites, a sua obcecada e torturada busca de redenção como homem e como artista. Demasiadamente humano, demasiadamente Lúcio" (Sinopse da editora).

Vencendo o Mundo (****)


Joel Beeke
Editora Fiel
215 páginas

Joel Beeke nos ajuda a entender os perigos do mundanismo - definindo-o e chamando a atenção para seus ardis e sutilezas - e demonstra como a piedade e santidade são o antídoto para esse mal letal.
Abordando a necessidade se oferecer uma resposta bíblica a esse problema, o autor serve-se de uma perspectiva prática, desenvolvendo este livro em quatro mensagens:
* O que é o mundanismo e como vencê-lo por meio da fé em Jesus Cristo.
* A piedade: uma resposta abrangente ao problema do mundanismo.
* Santidade: um antídoto ao mundanismo.
* Pastores vencendo o mundo.
Este é um livro necessário, cuja mensagem deve ser conhecida e entendida por todos os cristãos - principalmente aqueles que estão em posição de liderança frente à igreja.

Torturado Por Sua Fé (****)




Haralan Popov
167 páginas

"O propósito deste livro não é mostrar a degradação dos homens - o expoerimentei dia e noite durante mais de treze anos. O seu propósito é mostrar o irresistível amor de Deus. Se tenho de ressaltar algo neste livro, que seja a verdade avassaladora do amor de Deus em meio à bestialidade humana"
De um modo autêntico e comovente, Haralan Popov nos conta as suas experiências nas prisões comunistas da Bulgária. Sua posição como pastor da maior igreja evangélica daquele país tornou-o um alvo especial da lavagem cerebral comunista. Suas experiências de prisão, tortura e sofrimento duraram treze anos.
Nos anos de prisão, em diversos lugares, Haralan Popov continuou seu trabalho para o Senhor. Depois dos treze anos de aprisionamento, ele se tornou um dos líderes da Igreja Subterrânea, que veio à existência quando a igreja oficial passou a ser controlada pelas autoridades comunistas. (4a. capa).

D. Martyn Lloyd-Jones: cartas 1919-1981 (***)


Dr. Martyn Lloyd-Jones
Editora Pes
296 páginas




"A narrativa em dois volumes da vida de David Martyn Lloyd-Jones (1899-1981), de autoria de Iain H. Murray, é uma das mais grandiosas biografias cristãs do século XX. Conta-nos a extraordinária história da vocação de um jovem e notável médico para o ministério cristão, narra-nos da influência duradoura e amplamente difundida da sua pregação, como também da sua influência espiritual, primeiro em Gales, sua terra natal, e depois em Londres e no mundo inteiro. Mas, as cartas de um homem contam de dentro a história da sua peregrinação, e aqui, em mais de uma centena das suas cartas pessoais, temos um encontro em primeira mão com Martyn Lloyd-Jones. Embore ele se considerasse um "pobre correspondente", estas páginas narram uma história diferente, pondo a descoberto, descontraidamente, o afável vigor de uma personalidade que deixou indelével impressão nos que o conheceram pessoalmente. Apanhamos aqui um vislumbre da ampla e equilibrada figura do homem: o médico e o pregador; o estudante de teologia profunda, que era fascinado pela vida agrícola; o apaixonado por livros, que se preocupava com as pessoas; o ardoroso galês, que dedicou anos da sua vida ao serviço cristão na Inglaterra e além. Neste livro cativante e fascinante, Iain Murray divide a correspondência de um modo que propicia penetração nas diferentes áreas da vida de Lloyd-Jones (família, igreja, colegas no serviço cristão), porém, ao mesmo tempo, retém a seqüência e o desenvolvimento cronológicos. Complementando perfeitamente a biografia, as Cartas de D. Martyn Lloyd-Jones revelam a grande emoção da sua vida: 'Não o que temos sido, não o que temos feito, mas a graça de Deus em Jesus Cristo, nosso Senhor'". [Sinopse da Editora].

A Providência e a sua realização histórica (****)



Heber Carlos de Campos
Editora Cultura Cristã

679 páginas

"Deus se apresenta na Escritura Sagrada como o criador que se preocupa com aquilo que criou. Portanto, a doutrina da providência trata de todos os atos externos de Deus posteriores à criação. Somente as coisas que vieram à existência é que são objeto das obras providenciais de Deus.
Estas opera ad extra são a execução temporal e sucessiva do seu plano eterno. Este segundo volume da Coleção Fé Evangélica trata da obra providencial de Deus da forma como a Escritura a apresenta e será de grande ajuda para os que desejam conhecer melhor o seu Senhor" (4a Capa).

Confrontações Pressuposicionalistas

Vincent Cheung
Monergismo.com
Íntegra do livro em português disponível gratuitamente em
www.monergismo.com/wp-content/uploads/confrontacoes_press_cheung.pdf

"Começando com uma discussão sobre o papel das pressuposições em nosso pensamento, o primeiro capítulo mostra que todos os argumentos são, no final das contas, estabelecidos somente apelando-se à validade dos nossos primeiros princípios. Então vem uma exposição do encontro de Paulo com os atenienses em Atos 17, que mostra como o apóstolo confrontava as religiões e filosofias não-cristãs, e como podemos espelhar sua postura quando fazendo apologética e evangelismo hoje. O último capítulo inclui exortações para fazer apologética bíblica com maior agressividade".

Os Dez Mandamentos (****)


Arthur W. Pink
Publicações Monergismo


"Existem duas coisas que são indispensáveis à vida do cristão: primeira, um claro conhecimento do dever; e segundo, uma consciênciosa prática do dever correspondente a esse conhecimento. Como não podemos ter uma bem firmada esperança sem obediência, assim também não podemos ter uma regra segura de obediência sem conhecimento. Embora possa haver conhecimento sem prática; todavia, não é possível a prática da vontade de Deus sem conhecimento. Portanto, para que pudéssemos estar informados do que devemos fazer, e o que devemos evitar, agradou ao Soberano e Juiz de toda a terra prescrever para nós leis para o regulamento das nossa ações. Quando tínhamos miseravelmente desfigurado a Lei da natureza, originalmente escrita em nosso coração, de modo tal que muitos de seus mandamentos não eram mais legíveis, pareceu bem ao Senhor transcrever essa Lei nas Escrituras e nos Dez Mandamentos temos um sumário da mesma" (4a. capa).

Apologética no Diálogo (***)


Vincent Cheung
Pulbicações Monergismo
www.monergismo.com


"Este pequeno livro apresenta vários princípios importantes na apologética bíblica que aumentam o desempenho e eficácia do cristão quando defendendo a fé em cenários informais. Esses princípios frequentemente negligenciados parecem simples, mas são as armas divinas que Deus nos deu para assegurar nossa vitória em confrontações espirituais e intelectuais contra incrédulos e blasfemos." (Sinopse da Editora)


A Igreja e as Últimas Coisas (***)



Dr. D. Martyn Lloyd-Jones

Editora Pes

"Este é o último volume de uma nova e importante série de grandes obras escritas por Martyn Lloyd-Jones, o destacado pregador, no qual ele explora a Bíblia a fim de encontrar as essências da fé cristã. Nossa atenção é agora voltada para o ponto de vista bíblico da Igreja e das últimas coisas. O autor começa com uma detalhada investigação da Igreja e das ordenanças, especialmente com uma compreensão correta do batismo e da Ceia do Senhor. Os capítulos subseqüentes focalizam a segunda vinda de Cristo, o juízo final e a ressurreição do corpo. Além de uma análise detalhada do ensino bíblico contido no capítulo 9 de Daniel e do Apocalipse, Dr. Lloyd-Jones também examina os diferentes pontos de vista sustentados sobre esse assunto e considera a maneira de Deus cumprir Seu plano para os judeus" - Sinópse da Editora.

O Plano de Deus Para a Vitória (**)

Rousas J. Rushdoony
Monergismo Publicações


"Nos últimos 150 anos ou mais, a visão escatológica dominate do Cristianismo americano tem sido absolutamente amilenista pessimista ou pré-milenista dispensacionalista. Essa útlima visão capturou setores inteiros do conservadorismo protestante, suas igrejas, denominações, seminários, institutos bíblicos e agências missionárias. Com isso veio um afastamento gradual da visão abrangente dos puritanos coloniais e calvinistas americanos... Mas um novo dia chegou. Uma geração inteira de cristãos orientados pela vitória, estimulada pela visão pós-milenista vitoriosa, tem emergido para enfatizar o que os pais puritanos chamavam de "os direitos régios do Rei Jesus" em todas as áreas da vida moderna.... Esse monógrafo clássico de Rushdoony diz o porquê de esperamos isso." (4a. Capa).

A Lei de Deus no Mundo Moderno (***)

Kenneth L. Gentry Jr.
Publicações Monergismo
www.monergismo.com

"Ter um padrão revelado e objetivo remove qualquer conjectura sobre como deve ser o viver justo". Assim escreve Kenneth L. Gentry nesta lúcida introdução à "teonomia" a visão que a Lei de Deus permanece normativa para a vida hoje. Escreve ele: "Sempre pensei que a frase 'não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça' ensinasse que não temos obrigações de obedecer aos padrões éticos de Deus. 'Isto é o Antigo Testamento!' era uma forma fácil (porém falaciosa) de rejeitar a Lei Mosaíca".
O Dr. Gentry descreve como ele se convenceu da relevância continua da Lei mora e civil do Antigo Testamento, observando especialmente o testemunho de Jesus e do Novo Testamento sobre a validade permanente da Lei. Gentry escalrece em que sentido os crentes do Novo Testamento não estão debaixo da Lei, e explica as funções da Lei na pregação do evangelho, na conduta do cristão e na política nacional. Além disso, ele responde às objeções contra a teonomia e apresenta os benefícios práticos de aplicar a Lei de Deus à tudo da vida.
Todo aquele que esteja tentando entender o papel do Antigo Testamento no mundo moderno encontrará ajuda neste tratamento muito claro e conciso.

O Sofrimento e a Soberania de Deus (****)

John Piper e Justin Taylor
Editora Cultura Cristã
“Para todos aqueles que não vivem uma vida tranqüila, para todos os que chegaram ao ponto da exaustão, para todos os que foram traídos por pessoas aparentemente piedosas, para todos os que se perguntam se conseguirão seguir em frente, O sofrimento e a soberania de Deus será como pastos verdejantes e profundas águas tranqüilas”. Raymond C. Orlund Jr., Pastor sênior da Christ Presbyterian Church em Nashville, Tennessee .
“Esta não é outra obra teológica que complica o que parece ser um paradoxo irreconciliável; é um livro que brota da experiência prática e aplica a Escritura ao mundo real em que vivemos”. Jerry Rankin, Presidente da Southern Baptist International Mission Board.
“Este livro o desafiará a crer que Deus é verdadeiramente soberano, não somente no seguro céu da inquirição teológica, mas também na desordem dolorosa da vida real. Você será encorajado a viver mais consistentemente pela graça de Deus e para sua glória”.
Mark D. Roberts, Pastor sênior da Irvine Presbyterian Church, em Irvine, Califórnia.

Todas as Fontes Estão em Ti (***)


Carlos Nejar
Editora Eclesia

"O 'Amado' diante do qual a poesia de Carlos Nejar se quebranta e deslumbra é o mesmo que o monarca Salomão reverencia em seus Cantares, ou João de Yepes: o Senhor, cuja aproximação divina pode ser percebida pelos sentidos naturais (aromas, sabores, luzes, cores, toques, músicas, júbilos).
Todas as fontes estão em Ti é revelação, ciência amorosa da alma, através de uma linguagem clarividente, inaugural" (Texto extraído da orelha da capa).