Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

Deus Joga Dados? [***]




John Houghton
Editora Hagnos
152 páginas

"Propósito ou acaso? Esta é pergunta que não quer calar diante das descobertas mais recentes da ciência na astronomia e na física. Albert Einstein relutou em aceitar que o acaso esteve na base da origem do universo. Ele mesmo declarou: "Deus não joga dados". A partir desta afirmação, surge o questionamento do Dr. John Houghton, cientista e autor deste livro. Deus participa de alguma parte no desenvolvimento do universo? Por que Deus precisa ser lembrado nesta história toda? Nosso quadro não está completo sem ele, pelo menos até onde a natureza está relacionada? Como cientista e líder nestas descobertas recentes, seus relatos vívidos são contribuições bem-vindas à compreensão tanto do mistério em torno da origem do universo quanto da natureza da fé."

O "Ateísmo" da Igreja Primitiva [****]



Rousas J. Rushdoony 
96 páginas

Embora muitos possam estranhar o título deste livro, os primeiros cristãos eram considerados como “ateus” pela maioria das pessoas no império romano. O motivo é que, em vez de adorar milhares de deidades visíveis, os cristãos adoravam somente o único Deus vivo e verdadeiro, que é invisível (1Tm 1.17). Adicionalmente, eles eram tidos como ateus também por não reconhecerem as reivindicações divinas do Estado romano e, em particular, de César. Devemos lembrar que o imperador romano reivindicava ser divino, de forma que, quando alguém dizia “César é Senhor”, estava dizendo na verdade que César é deus. Todavia, ser cristão significa reconhecer que somente “Jesus é Senhor” (Rm 10.9); por causa disso, a igreja era vista como inimiga do Estado, e por boas razões. A explicação é que, como Rushdoony observa, a Bíblia requer que sirvamos um Senhor que não o Estado, com um tipo inteiramente diferente de educação e lei.