Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

Ética & a Lei de Deus (***)




William O. Einwechter
Editora Monergismo
96 páginas

Não haverá nenhum reavivamento genuíno à parte da disseminação do evangelho puro, e não haverá nenhuma disseminação do evangelho puro à parte de um reavivamento do entendimento Reformado da lei.

Um comentário:

Jorge Fernandes disse...

Este livro, como o sub-título diz, é uma introdução à teonomia. Basicamente, os mesmos pontos esclarecidos por Gentry Jr em seu "A Lei de Deus no Mundo Moderno", da mesma editora, estão presentes aqui.
Contudo, Einwechter, ao meu ver, é mais didático em revelar o sentido e significado da teonomia para o crente, a igreja e o mundo. Porém, e sobretudo, o autor focaliza a autoridade da Lei Moral sobre todos os aspectos da vida, tanto do crente como do incrédulo, como da igreja e do estado, da família e toda a sociedade, alguns dos quais são inter-relacionados pelo autor.
Talvez, por isso, eu tenha achado esse exemplar melhor do que o escrito pelo Gentry, mas, talvez, eu possa tê-lo achado melhor, mais esclarecer, por ter lido antes o livro do Gentry. De qualquer forma considero essencial a leitura de ambos, a fim de se ter uma idéia mínima do que venha a ser teonomia, e a urgência de que o mundo se submeta à Lei de Deus, não para a salvação de todos, mas para que a Sua justiça seja proclamada aos quatro cantos do planeta, e tenhamos o mundo regido pela ética suprema, como afirma William O. Einwechter:
"Os teonomistas creem que a reforma é necessária em todos os níveis, não apenas no governo civil. A teonomia lança um chamado profético a indivíduos, à família, à igreja e ao Estado para se arrependerem e reconhecerem Cristo como senhor e sua lei como a regra suprema de ética. A teonomia busca reformar a política, mas não procura uma reforma por meio da política. O humanista confia no "Estado Messiânico" para salvar a ele e a sua sociedade. O teonomista coloca a sua fé no Messias" (pg. 76).