Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

A Igreja é Israel Agora [**]


Charles D. Provan
Editora Monergismo
124 páginas


"Este livreto buscará provar, usando as Escrituras do AT e NT, que: 
1- Os israelitas de raça que desobedecem a Deus estão, pelos ensinos do Antigo e Novo Testamento, despojados de qualquer bênção que possa ter sido outrora conferida por descendência racial.
2- A Igreja Cristã (e por este termo não queremos dizer alguma denominação particular de cristãos) é agora o Israel de Deus, de acordo com os ensinos do NT. A Igreja é vista como sendo Israel pelos seguintes fatos:
a) Os títulos de Israel no AT são os títulos da Igreja Cristão no NT, e;
b) As passagens do AT que clara e indisputavelmente referem-se a Israel são citadas pelos Apóstolos de Cristo como se referindo à Igreja Cristã"

3 comentários:

Carlos Jr disse...

olá Jorge vc conhece este site http://www.skoob.com.br/. Eu gosto muito. Rev Carlos roberto de Souza Junior

Jorge Fernandes Isah disse...

Pr.Carlos,

conheço sim. Mas ainda não me decidi a abrir uma conta por lá.

Abraços.

Cristo o abençoe!

Jorge Fernandes Isah disse...

O livro de Provan divide-se em seções onde as mesmas características de Israel e da Igreja são apontadas por versículos bíblicos. Há poucos comentários entre eles, e, ainda sim, suficientes para esclarecer um ponto conflitante, e que as vezes pode ser mal entendido pela leitura bíblica.

Na verdade, o trabalho do autor foi estabelecer os pontos a serem abordados, e buscar seu respaldo na Escritura.

Parece-me que Provan vê a Igreja como sucessora de Israel, no que não concordo. Não que entenda-os separadamente, como dois alvos da graça de Deus, como dois povos de Deus, ou mesmo a Igreja como o Israel que deu certo.

Na verdade, Deus veio salvar os que são Seus tanto no AT como no NT, e, no final das contas, há uma graça e uma bênção apenas, no sentido salvífico, e um só povo, os eleitos de Deus.

Um ponto que não sei se o autor tocará, pois ainda não terminei o livro, é no fato de gentios serem salvos no AT por intermédio de Israel, ou seja, apenas aqueles que "aderiam" à nação judaíca poderiam ser alvos da graça divina [pela circuncisão].

Da mesma forma, também a salvação somente é possível na Igreja, através da participação do crente nos sacramentos, ao ver de muitos.

Gostaria de saber qual o seu posicionamento dentro do que se denomina teologia do pacto.

De qualquer forma, vejo a Igreja e Israel como a mesma coisa, não uma sucedendo a outra, pois, para mim, apenas o conhecimento do Deus bíblico [possível em Israel no AT, e possível na Igreja no NT] pode levar o homem a fazer parte do povo de Deus.