Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

Esquecidos e Superestimados [****]





Rodrigo Gurgel
Vide Editorial
Formato Kindle
216 Páginas

"Rodrigo Gurgel, diga-se, não escreveu esta obra com o intuito ranzinza de resgatar autores desconhecidos contra os escritores que se tornaram celebridades, o que seria outra forma de manifestar a sanha de originalidade dos modernistas, sob disfarce de arqueologia crítica. Está se falando, sim – pautado em princípios pedagógicos e de independência crítica, sem as comodidades ideológicas –, de ter curiosidade por saber o que foi produzido, de querer saber o que realmente diz o texto".

Um comentário:

Jorge Fernandes Isah disse...

Contra o "clubismo" da crítica brasileira moderna que eleva os seus "queridinhos" a patamares muito além do merecido, e lança no abismo os desafetos, independente da capacidade autoral; o prof. Rodrigo Gurgel se insurge contra o mainstream da critica literária contaminada pela ideologia e uma busca doentia pela originalidade e ineditismo, que faz da confusão, chatice e pedantismo sua matéria-prima, apontando para uma falsa erudição e tolice, presente nos auto-proclamados "iluminados". A prova maior é que se entregam a um malabarismo linguístico e estilístico capaz de levar o leitor ao tédio e sonolência, quando não à raiva ou deriva, abandonando completamente a força narrativa, a simplicidade e o contato com a realidade.

O grande mérito, ao meu ver, do prof. Gurgel é o de instigar a leitura de autores abandonados e esquecidos pela academia e, de alguma maneira, também levar-nos a ler muitos dos supervalorizados e que alcançaram o seu lugar na história mais pelo desconhecimento do que propriamente pela leitura de suas obras.

Um livro instigante e, mais do que isto, cativante.