Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

Ideais Traídos [***]






Sylvio Fronta
Editora Jorge Zahar 
Formato Kindle
664 Páginas

"Sylvio Frota foi ministro do Exército entre 1974 e 1977, período em que o presidente Ernesto Geisel iniciou o processo de abertura. Contrário a essa política e apoiado por militares e políticos da "linha-dura" que o queriam candidato à sucessão, Frota distanciou-se cada vez mais do presidente, a quem via como ideologicamente de esquerda. O desfecho foi sua demissão por Geisel em 12 de outubro de 1977.Afastado da vida pública, o ex-ministro dedicou-se, nos anos seguintes, a escrever sua versão dos fatos. Ideais traídos é publicado 28 anos depois do início de sua redação. Nesse inédito documento histórico, o leitor tem uma rara visão dos bastidores do período militar no Brasil (1964-1985). Frota faz uma análise minuciosa da história e, ao acusar os que em seu entender haviam traído os ideais do Movimento de 64, torna esse livro um depoimento detalhado e único sobre o tema.A obra, lançada por iniciativa de seu filho – já que o autor, até sua morte, em 1996, não quis divulgar o texto –, mostra detalhes ainda desconhecidos sobre a cúpula militar brasileira. Peça fundamental para o entendimento do Brasil contemporâneo, esse livro – que passou por cuidadoso trabalho de verificação para garantir sua autenticidade histórica – traz ainda:• Dezenas de documentos inéditos, em sua maioria sigilosos, selecionados pelo autor;• Fotografias do acervo pessoal de Sylvio Frota;• Apresentação dos historiadores Celso Castro e Maria Celina D’Araujo, ambos da Fundação Getúlio Vargas e especialistas no estudo do regime militar no Brasil.''

Um comentário:

Jorge Fernandes Isah disse...

"O confronto entre a Democracia e o Totalitarismo, na luta pelo poder e domínio do mundo, surgiu em todos os setores da atividade humana. Os comunistas, associando habilmente técnicas de comunicação social e subversão, criaram o condicionamento mental de que as atitudes e posições antimarxistas são frutos do radicalismo, estão em desacordo com a evolução dos povos e encontram-se, portanto, ultrapassadas. Desmoralizaram os órgãos de inteligência oponentes, forçando a sua desmobilização parcial ou total, diminuindo-lhes, em qualquer caso, a eficiência. Invadiram a semântica, deformando o sentido dos termos e confundindo mesmo, com as mutações de suas acepções, indivíduos de regular grau de instrução. Tiveram, nesta ardilosa tarefa, o auxílio da pueril ingenuidade que jorra em abundância das fontes democráticas. Os órgãos de informações russos passaram, deste modo, a atuar livremente em todo o mundo."