Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

Jornada no Império (***)


William B. Forsyth
Editora Fiel

3 comentários:

Jorge Fernandes disse...

Biografia do Dr. Robert Reid Kalley, médico escocês, o qual possuía um forte chamado missionário. Desejando ir à China, acaba na Ilha da Madeira (colônia portuguesa), em virtude dos cuidados que a sua esposa, acometida de tuberculose, necessitava, e do clima ameno da ilha, favorável ao seu tratamento.
Ali, o Dr. Kalley realiza um trabalho filantrópico de atendimento aos necessitados, doação de medicamentos e internação em sua clínica, e a proclamação do Evangelho de Cristo aos moradores idólatras da colônia.
Como a proclamação do Evangelho suscinta a rebelião das forças diabólicas, o sucesso da evangelização com a crescente conversão de almas a Cristo, provocou a perseguição ao Dr. Kalley e à Igreja em Madeira. Muitos foram presos, deportados para colônias na África, e alguns condenados à morte por heresia e blasfêmia. O próprio Kalley permaneceu preso por 6 meses; sem que, contudo, os crentes negassem Cristo, ainda que sobre forte opressão das trevas.
Kalley tinha um espírito indenpendente, o que lhe provocou alguns dissabores (muitos decorrentes do seu desejo em manter-se livre até mesmo da vinculação de seu trabalho missionário a uma denominação).
Por ser um herdeiro de um rico comerciante, ele patrocinava praticamente todas as despesas decorrentes do seu trabalho missionário e filantrópico, em tempo integral e na integralidade dos seus recursos.
A grande comissão de Mateus 28 era o seu grande desejo de realização, servindo ao nosso bom Deus, proclamando o Evangelho de vida e salvação de nosso Senhor Jesus Cristo.

Jorge Fernandes disse...

A perseguição pela qual a Igreja na ilha da Madeira sofreu é mostra do quanto o homem está em rebeldia contra Deus; e de como a Verdade é combatida pelas forças diabólicas.
Desde à época dos apóstolos, crentes em nosso Senhor Jesus Cristo são perseguidos mundo afora, muitos pagando com a própria vida (Mc 8.34).
Mas a Igreja do Senhor jamais será destruída (Mt 16.18).
Fica o exemplo de vida cristã desses irmãos que perderam tudo por amor a Cristo; especialmente nos tempos atuais onde o amor, o servir a Deus e ao próximo, a fé e o rigor dos princípios bíblicos deram lugar à covardia, à omissão, à indiferença, ao egoísmo, à descrença, tornando-nos em uma igreja morna, a qual será vomitada pelo Senhor (Ap 3.16).

Jorge Fernandes disse...

William Forsyth escreveu um livro dinâmico, agradável e fácil de se ler, recheados de fatos históricos, muitos deles, relegados ao completo esquecimento pela igreja atual.
Dr. Kalley foi um missionário perseguido por onde passou. O seu trabalho resultou em frutos para o Evangelho em todas a classes sociais. Ao contrário do movimento social atual nas igrejas, originado na elite intelectual (seria antes o remorço ou uma nova forma de demonstrar superioridade sobre os mais fracos?), Kalley pouco importava-se com a condição e reputação na sociedade de seus ouvintes: pregava tanto a brancos como negros, a ricos e marginalizados. E este é o cumprir verdadeiro da Grande Comissão de Nosso Senhor Jesus Cristo (a qual devemos fazer por amor a Ele e ao próximo. Qualquer outro motivo não passa de pecado).
O "Lobo da Escócia" estabeleceu a igreja evangélica no Brasil, atingindo o objetivo pelo qual muitos antes dele tentaram e pagaram com as próprias vidas, como os franceses, holandeses e ingleses (Forsyth dá um apanhado geral da tentativa de cristãos europeus em fundar "colônias" protestantes no Novo Mundo, o que não ocorreu a seu tempo).
Muito do que os protestantes conseguiram na liberdade de culto no país, desagradando sobremaneira o romanismo (o que não impediu que os católicos fomentassem ataques populares ao patrimônio e à vida dos "hereges" calvinistas) se deveu a intervenção direta do Imperador D. Pedro II, o qual tornou-se amigo pessoal do Dr. Kalley.
É claro que, tanto Kalley como o Imperador, foram alvos da soberana vontade de Deus, sem o qual nada do que foi feito seria feito.
Este livro é um alerta para toda a verdadeira Igreja do Senhor, pois em um mundo que tem odiado a Cristo e afastado-se cada vez mais do Seu Evangelho, as perseguições e sofrimento que o povo de Deus sofrerá, é apenas questão de tempo.
E muitos dentre nós, serão os intrumentos para que a injustiça, e o desprezo à Palavra de Deus ocorram.