Após a leitura, classificarei os livros assim:
Péssimo [0] Ruim [*] Regular [**] Bom [***] Muito Bom [****] Excelente [*****]

O Reino de Deus e a Igreja (***)



Geerhardus Vos
Logos Editora
http://www.editoralogos.com.br/

6 comentários:

Jorge Fernandes disse...

Cristo convergiu em si mesmo toda a expectativa do Reino de Deus e do Messias como rei, expressos no Antigo Testamento; mas ao submeter-se completamente à revelação dada ao povo de Israel pela vontade do Pai ali manifestada, Ele assumiu o papel de Servo da História e no Rei eterno do Reino de Deus; o qual não veio apenas sobre a nação de Israel, porém, é pelos séculos dos séculos sobre o Seu povo eleito.

Jorge Fernandes disse...

O Reino de Deus é existente, apenas não é reconhecido no presente, mas no futuro, o mundo se submeterá a ele, o qual será manifesto a todos.
Israel via no A.T. o Reino de Deus como o reinado da lei, ao passo que Cristo nos trouxe uma esfera maior através dos atos salvíficos, tornando o Reino de Deus não somente o reino da lei mas também da graça; restaurando o que foi maravilhosamente exposto no A.T., ao qual o povo judeu foi incapaz de conceber, visto que eles criam num reinado de Israel sobre as outras nações em sentido temporal, onde a glória recairia sobre a nação judaíca; ao passo que o Reino de Deus é um complexo de bênçãos e glória ao Seu povo, seja judeus ou gentios, no novo mundo instituído por Cristo aos Seus eleitos.

Jorge Fernandes disse...

Há o Reino exterior, o qual será o reinado de Cristo sobre tudo e todos, quando da segunda vinda do Senhor; e há o Reino interior, o qual regenera, transforma e governa o coração do homem convertido e regenerado que reconhece Cristo como o Senhor da sua vida.
Na eternidade o crente será súdito integral de Deus, o qual reinará completamente, em plenitude sobre os Seus eleitos

Jorge Fernandes disse...

Segundo o autor, existe a possibilidade de Deus não reinar sobre os seus opositores, o que, no mínimo, enfraquece a idéia da soberania de Deus, conflitando com os princípios claramente expostos nas Escrituras.
Como Todo-Poderoso, Deus opera e age em todos, mesmo naqueles que se encontram em rebeldia.
Na verdade, o Reino do porvir será um reinado de completa e plena justiça, santidade e retidão, o que não ocorre agora, mas que não suprime, em hipótese alguma, o controle e a autoridade do Senhor mesmo sobre as forças demoníacas e sobre o mal.
O Reino de Deus estabelece-se através da renovação e transformação do mundo físico e espiritual, onde todo o mal será vencido; pois, onde o Espírito de Deus opera, ali o Reino é chegado.

Jorge Fernandes disse...

O Reino é sempre um ato soberano de Deus (teocentrismo), e jamais poderá ser humano. Ao homem fica a ordem de buscá-lo, mas ainda assim, é um ato de Deus, em que a Sua glória manifesta-se.
Portanto, o conceito de que o importante é o bem-estar do homem (antropocentrismo) não encontra respaldo bíblico, pois o Reino é um estado de bem-aventuranças (Mt 5 e 6), as quais procedem de Deus.

Jorge Fernandes disse...

Cristo reina primeiramente na Igreja, a qual constituiu e pertence ao Seu corpo, onde estão aqueles que foram separados e regenerados do mundo por Deus e para Deus. A Igreja, portanto, é uma forma que o Reino assume, e culminará no Reino Final, quando da segunda vinda do nosso Senhor.